Cara a cara



Você tem dado sinais de que não quer mais a relação, tem perdido a paciência com o outro e tem sido grosseiro (a)?  A outra pessoa está se virando não em dez, mas em mil, para fazer coisas boas pra você e nada lhe agrada, fazendo com que o outro fique confuso e sem saber o que fazer para lhe deixar feliz?  Então pare e pense, pois está na hora de você ter aquela conversa cara a cara.

Primeiro você precisa ser sincero com você mesmo dando-se em conta que o problema não é o outro e que o que você está fazendo é tentando achar um motivo para cair fora.  Sim!  Você pode estar buscando aliviar sua culpa por não querer mais aquela relação, desqualificando e desfazendo o outro.  Isso faz com que o outro sofra muito e depois fará você também sentir-se mal. Culpar o outro para aliviar a própria culpa não é justo e não é legal.

Tenha uma conversa cara a cara.  Esse enfrentamento é doloroso, mas é uma conversa libertadora, mesmo para quem é deixado.  É melhor encerrar uma relação com respeito do que esperar que ela míngue com a dor, a desqualificação e a invalidação do outro.  Muito menos espere até ter outra pessoa na jogada para encerrar o que não está sendo bom para você.  Quando não se quer mais uma relação as grosserias vão aumentando, a indiferença surgindo e a ansiedade predominando. Isso é sofrimento!

Marque uma conversa cara a cara e fale com todas as letras que você não quer mais.  Seja sincero e objetivo.  Diga o que você vem pensando, isso ajuda a situar e clarear as coisas.  Por favor, tenha tempo!  A outra pessoa precisa e merece sua atenção, merece poder falar (se quiser).  Tenha disponibilidade e paciência, pois a pessoa está em dor e quem sabe até em desespero.  Jamais preste atenção ao seu celular.  Você está falando algo sério, portanto desconecte-se do celular e foque naquele momento, respeitando o outro.  Nem que seja pela ultima vez.  Você tem todo o direito de não querer mais uma relação, mas seja humano o suficiente para saber que precisa ter respeito e generosidade com a dor do outro e que ele precisa desse “cara a cara”com a verdade para seguir em frente numa nova vida.

Cris Manfro