Amizade entre pais e filhos



Constantemente, as gerações anteriores reclamam da maneira rígida com que foram criadas e do desejo de educarem seus filhos com maior liberdade e proximidade. Os pais de hoje, em contrapartida, tornaram-se íntimos demais, esquecendo-se de que um filho precisa saber qual é o seu lugar na família. Esse lugar é construído a partir de limites estabelecidos e também de direitos adquiridos, através do diálogo e de alguns espaços compartilhados.

É fundamental que as mães reconheçam que ser mãe é diferente de ser amiga, embora a amizade seja fundamental na relação entre mãe e filho. Ser mãe é educar seu filho estabelecendo limites, dialogando, ensinando valores, mostrando o que é certo e o que é errado e sempre, (sempre mesmo!) servindo de exemplo. A mãe pode ser a melhor amiga de seu filho, mas deve saber que o papel de mãe deve ser bem demarcado, pois é um dos mais importantes no desenvolvimento dos filhos.

Na fase da adolescência, ocorre uma certa sensação de perda de controle e de frustração por parte da mãe com a independência crescente de seus filhos, pois diminui a necessidade de ser solicitada a todo momento. Se a mãe pensa que precisa se igualar a eles e ser a melhor amiga para compreendê-los, os filhos ficam órfãos de mãe, justamente quando o que mais precisam é de uma mãe. Uma mãe firme e decidida em relação a parâmetros a serem seguidos. Uma mãe que, por meio de limites, ensine o que é certo, porque o limite abriga o indivíduo.

A mãe não precisa participar do grupinho dos filhos, usar seu vocabulário ou as mesmas roupas que eles usam para compreendê-los melhor, mas, sim, saber quem são os seus amigos e ter uma postura crítica com relação a isso, para que ensine seus filhos a fazer escolhas certas. Enfim, a mãe não precisa saber tudo da intimidade de seus filhos, mas o suficiente para mostrar a eles o que deve e o que não deve ser feito.

Os adolescentes precisam de pontos de referência. Eles esperam dos adultos certos parâmetros para confrontá-los com os seus, e assim, alimentar as suas reflexões e encontrar seu caminho. Os filhos poderão fazer as suas escolhas sozinhos, mas sempre acompanhados e assessorados pelas mães.

A vida moderna impõe muitos desafios na educação, e talvez o maior deles seja encontrar tempo para estar com os filhos. Cada um deve e, com um pouco de criatividade e esforço, heróico, às vezes, encontrar tempo para isso. E, mais do que estar juntos, cultivar a verdadeira amizade entre mãe e filho.

Mirela Manfro da Silva